, ,

25/11 – Pra. Sheila Vianna – “O cordão azul”

No último domingo, a Pra. Sheila Vianna compartilhou uma palavra com o tema “O cordão azul”.

Resumo da palavra

Para os judeus, o manto Talit simbolizava a cobertura da glória de Deus. Todo judeu usava. Deus ordena a Moisés que nas bordas do manto fossem colocadas franjas e um cordão azul.
As franjas representavam os 613 mandamentos da Torá. Ao observar as franjas, o povo se lembraria dos mandamentos de Deus e seria fiel.

Mas no meio das 613 franjas deveria existir um cordão azul celeste simbolizando um caminho de livramento que viria do Céu.

É como se Satanás tivesse 613 pedras para atacar o cristão e Deus viesse com uma pedra chamada Jesus e atirasse nele. O cordão azul apontava para a pessoa de Jesus que viria muito tempo depois.

O cordão era feito de lã, a ovelha precisava ser tosquiada. A cor vinha de um molusco que era triturado. Jesus também foi moído pelas nossas iniquidades, para nos inspirar a ser santo como Ele é. Se eu olhar para as leis me desespero, mas se eu olhar pra Ele serei salvo!

Jesus também usava esse manto. Quando as pessoas viam Jesus, traziam os enfermos para tocarem a orla das Suas vestes porque sabiam que Ele era a pessoa para quem o cordão apontava.

Observemos Jairo que se aproxima de Jesus buscando cura para a sua filha de 12 anos. Pela lei, só os familiares poderiam tocar os mortos. Enquanto ia, uma mulher que há 12 anos sofria de hemorragia toca a orla das vestes de Jesus. Tanto uma como a outra eram impuras.
Imagina Jesus indo visitar uma menina impura e uma outra impura se aproxima e O toca. Por que essa mulher foi tão ousada? Porque reconheceu que Jesus era a manifestação real do cordão azul.
Por reconhecer quem Jesus era, Jairo não viu aquilo como um atraso. Nada atrasa ou atrapalha o tempo de Deus.

Jesus é o cordão azul ou são 613 regras que precisamos seguir?
Não há mais cordão azul no manto porque o molusco foi extinto, então só sobram franjas. Que a nossa vida não seja assim: um conjunto de regras. Que amemos a lei, mas tenhamos relacionamento com Jesus. Hoje o cordão azul somos nós porque a nossa vida deve apontar para o Céu.