A Morte de Lázaro: Para Que Todos Sejam Um

A Morte de Lázaro: Para Que Todos Sejam Um

Bem vindos à coluna Missões, Nações e Culturas. Muitos conhecem a história da morte de Lázaro (João 11.1-44), um homem muito querido por Jesus, irmão de Maria e Marta, que quando ficou doente, suas irmãs avisaram a Jesus e Eleos visita após alguns dias, sabendo que Lázaro já havia morrido. Há um fato que pula aos nossos olhos quando lemos, diz a Palavra que ao chegar em Betânia e encontrar seus amados, Jesus chorou.

Quando as pessoas que estavam na casa viram Maria sair apressadamente, imaginaram que ela ia ao túmulo de Lázaro chorar e a seguiram.

Assim que chegou ao lugar onde Jesus estava e o viu, caiu a seus pés e disse: “Se o Senhor estivesse aqui, meu irmão não teria morrido”.

Quando Jesus viu Maria chorar, e o povo também, sentiu profunda indignação e grande angústia.

“Onde vocês o colocaram?”, perguntou. Eles responderam: “Senhor, venha e veja”. Jesus chorou.

(João 11:31-35 NVT‬‬)

Imaginar o nosso Príncipe chorando é algo que toca os corações. Ele que é o Princípio e o Fim, que a tudo conhece, já sabia que iria ressuscitar Lázaro. Jesus sabia que a morte de Lázaro viria para produzir Glória ao Teu nome (João 11.4). Tanto que Ele não teve pressa, chegou após 4 dias da morte. Então por que chorou?

Para entender isso, é necessário passar por um outro conceito, o da compaixão. Em Mateus 15.32 Jesus diz, “Tenho compaixão dessa gente. Estão aqui comigo há três dias e não têm mais nada para comer. Se eu os mandar embora com fome, podem desmaiar no caminho”. A palavra grega da palavra compaixão utilizada pelo Mestre é splagxnízomai – de “splanxna” que significa as partes internas, especialmente as entranhas mais nobres – o coração, os pulmões, o fígado e os rins. O que denota a sede dos afetos.

A compaixão vem como um propulsor de movimento para Deus. Ele sente em suas entranhas a dor do outro, do perdido, do doente, do aflito. E isso gera nEle uma ação de misericórdia.

Graça e misericórdia.

Jesus chorou porque sentiu compaixão ao entrar naquela sala e ver aquelas pessoas chorando. Jesus chorou, pois amava a Lázaro e sentiu a dor do salário do pecado na vida de seus amados.

O coração de Jesus foi um com o deles e Ele chorou.

E o que isso tem a ver com essa coluna? Jesus ora ao Pai em João 17.20-21 e diz “Não oro somente por estes discípulos, mas igualmente por aqueles que vierem a crer em mim, por intermédio da mensagem deles, para que todos sejam um, Pai, como Tu estás em mim e Eu em Ti. Que eles também estejam em nós, para que o mundo creia que Tu me enviaste.”

Para que todos sejam um. Um corpo. Uma Noiva. Se uma parte do corpo sofre, todas as outras sofrem com ela (1 Co 12.26). Para falarmos sobre Missões, precisamos sentir compaixão pelos que sofrem, deixando que Deus coloque o clamor do mundo em nós. Não é fácil. Precisamos orar e pedir para termos um coração como o do Mestre, para não passar despercebido pelo necessitado, pelo carente. Para sentir o que Ele sente ao ver um órfão ou um alcoólatra. Para clamar e prantear pela Igreja perseguida. É necessário deixar esse amor entrar em nossas partes mais internas.  A afirmação que os judeus fizeram ao mestre, é feita agora novamente a você: “Venha, e veja.” Há uma parte do corpo que sofre, você está pronto para sofrer junto?

Publicação de Drika