Pão nosso de cada dia

Pão nosso de cada dia

Vamos inaugurar esse espaço de compartilhamento de receitas e experiências acumuladas através dos anos dentro de uma cozinha profissional. Trataremos hoje de uma paixão nacional. Não, não é futebol, samba ou qualquer outra coisa, mas sim o nosso querido pão de cada dia.

Produto derivado basicamente da combinação de farinha de trigo, água, sal e fermento. Com uma infinidade de variações, o pão tem atravessado séculos como alimento básico na dieta de quase todo mundo. Isso se deve a expansão da agricultura do trigo,o segundo cereal mais cultivado atualmente, atrás apenas do milho.

O pão e suas matérias primas são usados constantemente por Jesus em seus ensinamentos através de analogias. Inúmeras vezes citados em seus sermões, Jesus se declara o Pão da vida. Uau!! Quanta honra! Isso fala dos tempos que Jesus Cristo caminhou na Terra, no mínimo dois mil anos atrás. E, naquela época, esse alimento era tão presente na vida das pessoas quanto atualmente. Certamente, Jesus levou em consideração a importância do pão naquela sociedade ao fazer essa analogia. Assim como fez também quando disse que quem tivesse sede que fosse até Ele.

Ou seja, a água é imprescindível para a sobrevivência, assim como o pão. Certo?

A resposta correta é: Depende. O grão de trigo passou por diversas transformações ao longo dos séculos, em especial o século passado. Seu plantio é feito durante o inverno e comumente compartilha o solo com a soja no verão. Devido a globalização desses dois alimentos, ambos passaram por mutações para que se pudesse fazer um grão mais resistente às pestes e às variações climáticas cada vez mais constantes. Quando nos referimos ao trigo dos tempos de Jesus, falamos de um alimento mais puro, orgânico (isso significa sem agrotóxicos ou fertilizantes artificiais) e consequentemente mais nutritivo.

Mesmo assim, conseguimos encontrar no trigo nutrientes para uma dieta saudável e no pão, que é feito com a sua farinha, também. É um dever do chefe de cozinha levar à mesa o máximo de qualidade possível, no ponto de vista nutricional. É o chamado atualmente de comida de verdade.

O glúten que é, basicamente, a combinação de duas proteínas existentes no trigo com a água virou vilão nesses últimos tempos. Apesar de muita informação disponível, muita gente acredita que essa simples combinação de moléculas é a razão dos diversos distúrbios e doenças alimentares conhecidas atualmente.

Celíacos são pessoas que por questões patológicas não conseguem absorver essa substância, salvo esses, o trigo e, consequentemente, o glúten, são inofensivos ao  organismo. Mas aí está o problema: os alimentos, cada vez menos variados, e o ritmo frenético do dia-a-dia levam à péssimas escolhas como alimento. Alimentos industrializados são frequentemente elaborados com ingredientes refinados que contém pequenas quantidades de nutrientes e grande quantidade de calorias.

Todo alimento tem calorias, mas nem todos têm nutrientes.

Voltando ao pão, hoje produzido em larga escala em padarias comerciais, deve ser consumido com muita moderação devido ao alto teor de calorias derivado do seus ingredientes, que ganharam o reforço da gordura vegetal para agradar ao olhos (cor) e paladares (maciez) de seus consumidores mais assíduos que, diferente de tempos antigos, não estão acostumados a comer um produto mais resistente na mordida.

 No próximo encontro, abordaremos uma receita de um pão artesanal lindo, saudável e saboroso. Ciao!

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *