No dia 12 de maio, o Pr. Eric Vianna ministrou uma palavra com o tema: “Dia das mães”.

 

Passagens:

2 Samuel 3.1-3;
1 Samuel 25.2-3, 10-13, 18-20, 30-38 e 39-42;
Provérbios 31.10-31;
Mateus 25. 34-40.

Resumo da palavra

Podemos olhar para a história da mãe Abigail por duas óticas: humana e espiritual.

Ótica humana: Abigail era um mulher bonita e sensata casada com Nabal, um homem rico e de coração duro. Ela sofria no relacionamento, mas perseverava crendo no milagre.
Davi fugia de Saul quando tem fome e acaba perto das terras de Nabal, ele espera que Nabal o ajude, mas ele se recusa. Davi se ira e parte com o seu exército para matar todos.
Ao saber disso, Abigail vai interceder por sua casa. Ela poderia não fazer nada, afinal, Nabal merece, ele a tratava mal, não a honrava. Mas não, Abigail sabe das faltas do seu marido, mas age com sabedoria e oferece um banquete pra Davi.

Agora Abigail vai viver o Deus que é juiz e que nunca erra uma sentença.
Deus nunca vai errar na resposta da tua oração.
Davi diz “vai em paz pra tua casa”. Ela vai embora com uma palavra de benção. Finalmente teria paz em casa, agora sim o seu marido seria gentil. Mas quando contou a Nabal o ocorrido, seu coração se endureceu como uma pedra.
Mas a bênção de Deus estava sobre Abigail e Deus feriu a Nabal e ele morreu.

Aos olhos humanos parece que tudo deu errado, mas Deus se levanta para defender aquela que se levanta para defender a sua família.

Ao saber da morte, Davi manda chamar Abigail para ser sua esposa. E ela passa a ser esposa do rei.

Nasce então o filho de Abigail e ela o dá o nome de Quileade que significa “Deus é o meu Juiz”. Pela ótica espiritual, Davi representa Jesus, Abigail um tipo de igreja e Nabal o sistema do mundo.
Assim como Davi, Jesus quer casar com a noiva que se preocupa com os excluídos da sociedade. Abigail não entra em guerra com Nabal, mas é madura para entender que o seu inimigo é o sistema. Talvez o mundo nunca nos reconheça como nunca reconheceu Abigail, mas nosso coração deve confiar no Justo Juiz.

Valerá a pena cada sofrimento porque o mesmo Deus que transformou o choro de Abigail em alegria fará o mesmo com a gente.

 

 

Apresentação de criança

Consagrar os filhos a Deus é o maior presente que os pais podem dar. Filhos são herança do Senhor e flechas que Ele lança para cumprirem o Seu chamado. Trzê-los ao altar demonstra confiança em Deus e consciência de que precisam ser exemplos em tudo como pais que andam segundo a palavra, para que, ao atingir a maturidade, os filhos possam por servir o Deus de seus pais.

No dia 12 de maio, o pais Orlando e Thaís apresentaram o Théo Benjamin, no altar.

A igreja Bola de Neve Santos abençoou a família.