No dia 24 de junho, o Pb. Bruno Barreto compartilhou a palavra com o tema: “Caçadores de milagres”.

 

Resumo da palavra

 

Por que vemos na Bíblia multidões mudando de opinião sobre Jesus facilmente? Uma hora crendo, logo em seguida o rejeitando? A resposta é simples: tinham uma fé baseada na pergunta: “qual sinal você nos dá hoje?”.

Mas Jesus não deixou a glória pra satisfazer nossos desejos. Ele veio trazer salvação.

A religião cria caçadores de milagres, os que andam com Jesus ENQUANTO os sinais acontecem.

Os milagres são eventos do processo da salvação.
Não somos caçadores de milagres, mas caçadores da PRESENÇA de Deus.

Observe comigo duas histórias:

A primeira é de um paralítico que se arrastava numa maca por anos. Quando Jesus o pergunta se quer ser curado, ele responde com um discurso vitimista que ninguém o ajudava. Mas Jesus o cura.

Ser curado exige responsabilidade, agora ele teria uma maca pra carregar, não ia mais ser “café com leite”, nem receber esmola. Vendo essa responsabilidade, mtos passam a desejar a vida antiga.

Os religiosos questionam o paralítico sobre a maca. Logo ele responde que o tinham mandado carregar, ou seja, “a culpa não é minha”, mais uma vez um discurso vitimista.

Toda decisão que você tomar em Cristo, ASSUMA.

O importante aqui é que, na real, o paralítico nem sabia quem o tinha curado. Recebeu o milagre, mas nem sequer quis saber quem o fez!

Qdo descobre quem o curou, corre contar aos religiosos que passam a perseguir Jesus.

Observe essa história:

Jesus cura um cego de nascença. Qdo questionado sobre, logo diz que foi Jesus.

Muitos nem criam que ele era mesmo o cego, pq qdo Deus cura o interior, ficamos irreconhecíveis. Mas ele assumia: SOU EU!

Nenhum conhecimento teológico supera a experiência real com Jesus. Ele tava diante de teólogos, mas em apenas uma experiência já sabia que Jesus era o Cristo.

Mesmo depois de expulso da sinagoga, manteve o discurso firme. Então alcança salvação.

Qm é curado de vdd se transforma em um adorador!

Temos desejos, mas o que mais precisamos agora é conservar a salvação e nos manter adoradores.